Ele não está tão afim de você

Recomendo esse filme por várias razões, mas a principal delas é o jeito que me tocou. Acredito que isso se deve a realidade com que os personagens foram trabalhados em tal obra.

O filme aborda histórias diferentes, mas que de alguma maneira se ligam, temos um casamento que parece ser perfeito, porém é repleto de mentiras e traições, também está entre os personagens o cara na friendzone, a mulher que só sabe se relacionar virtualmente (ISSO É TÃO BLACK MIRROR HAHAHA). Entre tanto a personagem com quem mais me identifico, é a Gigi, ela tem diversos dramas comuns quando se trata de relacionamentos, a mesma coisa de sempre: o encontro perfeito, ela já começa imaginar os filhos e o modelo de vestido do casamento, mas o cara não liga e ela se convence que ele ta ocupado, mas que gosta dela, depois de uma semana que ele está viajando, depois de um mês que ele perdeu o número dela, então ela esquece e recomeça o processo com outra pessoa. A todo momento ela cai na cilada que é ensinada a nós mulheres, tudo que um homem faz é um “sinal” que estamos sendo correspondidas, mesmo que seja algo totalmente grosseiro e que nos machuque, buscamos sempre um meio de “perdoar” e acabamos por cair naquela famosa frase “ele é assim, mas gosta de você”.

Um belo dia Gigi conhece um rapaz chamado Alex, ele é um típico “pegador”, começam uma amizade e ele tenta ensinar a moça que quando uma pessoa gosta de você ela corre atrás, liga, e deixa claro isso, explica também que as mulheres estão sempre procurando sinais e meios para acreditar piamente que o homem está tão afim quanto ela, mas a vida não é conto de fadas e as coisas são mais simples do que ela pensa, se um cara não liga é porque ele não quer ligar, se ele não diz que gosta de você é porque não gosta.

Durante a trama vemos a desconstrução dela, e quando achamos que finalmente ela se convenceu que todo o melodrama que rodeia a sua vida amorosa é socialmente imposto a nós mulheres, ela cai mais uma vez na sua própria cilada. Enquanto acompanhamos a vida da Gigi em busca do “amor verdadeiro”, também vemos duas mulheres que amam o mesmo homem percebendo o quanto podre ele é, e principalmente que não dependem dele para ser feliz, afinal “talvez o final feliz seja apenas seguir em frente”.

Esse filme me surpreendeu, pois ele critica uma série de regras sociais. A idéia de casamento, amor verdadeiro, sexo, amizades, meios de relacionamento, entre varias outras questões e apesar do final da história da Gigi ter me decepcionado um pouco, acho a proposta valida. Sempre que preciso me convencer que relações são simples e que as regras sociais que nos são imposta não vale de nada eu revejo.

Anúncios