Resenha – Cem Anos de Solidão, livro de Gabriel García Márquez

Lembro-me até hoje do dia em que meu professor de filosofia pediu para que a classe fizesse um ensaio sobre o livro “Cem Anos de Solidão”, do escritor colombiano Gabriel García Márquez. Eu fiquei encantada já que finalmente um professor passou um livro que não era fininho para que todos lessem, visto que em literatura todos tinham no máximo 150 páginas.


“Cem Anos de Solidão” é uma obra literária do gênero Romance, lançada em 1967. Conta a história dos Buendía, que viviam na vila fictícia de Macondo. O tempo acompanha todas as gerações que viram uma das personagens – Úrsula – ainda viva (e ela viveu entre 115 e 122 anos).

A verdade é que muitas vezes eu confundia algumas personagens por causa dos nomes parecidos, mas a minha edição tinha uma árvore genealógica (não sei se todas têm).

Os personagens que mais me chamaram a atenção foram Rebeca e Pietro Crespi, e meu ensaio foi justamente sobre os dois, em especial sobre os possíveis problemas psicológicos de Rebeca.

Uma curiosidade bacana é que a música “Banana Co” do Radiohead é inspirada na obra e, se você precisa de um bom motivo pra lê-la, basta que eu lhe diga que esta foi considerada a segunda obra de maior importância de toda a literatura hispânica, perdendo apenas para “Dom Quixote”, segundo o Congresso Internacional da Língua Espanhola