Sobre como vemos o mundo

Oi galeres, tudo bom? Sem resenha hoje, vim pra bater um papo com “mecês”.
Já faz um tempinho que eu comecei a me indagar sobre a mente humana e, como já dizia meu pai, cada ser humano é um universo e isso faz sentido pra muitas pessoas, mas eu parei pra analisar isso um pouco mais a fundo.

(Alerta de fumação de banana aqui, porque talvez isso apenas não faça sentido pra você, caro leitor)

E se damos nomes iguais pra coisas diferentes? E se a raiva que você sente é diferente da minha?
Pensa comigo: quando você era apenas uma criança e começou a chorar porque alguém brigou com você, te ensinaram a dar o nome de “tristeza” a isso. Quando outra criança tomou um brinquedo da sua mão, você aprendeu que o nome disso era “raiva”. Será que sentimos na mesma intensidade? Será que nós não estamos usando um nome muito padrão para algo que não é tão padrão assim? Muitas vezes me pego sentindo “algo” que nem sei dizer o que é… isso faz sentido pra mim.

Depois de muito pensar, cheguei a uma constatação: cada ser humano está sozinho em seu mundo de percepções. Isso parece muito triste pra você? Estranhamente, pra mim não é.
Pra não ficar me achando estranha, decidi tentar entender o motivo pelo qual não acho isso triste, e acabei percebendo que o motivo é simples: a arte.
Sim, meine Freund, a arte, porque através dela as pessoas tentam traduzir e compartilhar suas percepções. Isso significa que se todos pudessem facilmente compartilhar seus universos particulares, ou todos fossem iguais de mente, não haveria tanta criatividade advinda de um esforço enorme pra se fazer entender pelos outros.

Então, colegas de planeta, o que vocês pensam sobre isso? Podem comentar se sentirem vontade, eu ficaria feliz em ler suas percepções sobre esse assunto.

Vamos fazer um estúdio? – O Um e cinco voltou!

Oi, tudo bem?

O Um e cinco está de volta!!! (isso que eu ouvi foram fogos? eu sei que sim!)

Com cara nova, energia nova, colaboradores e muita vontade de crescer cada vez mais.

O nosso foco por aqui continua sendo a arte. Vamos falar de arte, ver a arte, ouvir a arte, sentir a arte, cheirar a arte, amar a arte, viver a arte. ❤

A nossa página continua sendo a mesma, então se ainda não curtiu tá esperando o que?????? Por lá você fica sabendo em primeira mão tudo que acontece pelo blog e um pouco mais.

E pra acompanhar todo o backstage do blog, desde a preparação dos post à tudo basta me seguir lá no Instagram.

Agora vamos ser apresentados ao time?

E tem eu, claro! Mas vocês já me conhecem né? E se não, basta olhar ali na lateral do blog que vocês vão conhecer até demais. 🙂 Inclusive na lateral também tem playlist então coloca pra tocar porquê tudo ficar melhor com trilha sonora.

A promessa com essa volta é (no mínimo) um post por dia com assuntos super variados e interessantes. A promessa é mostrar a vida de um jeito que vocês nunca viram antes, de um jeito artístico. Vamos, juntos, fazer o Um e cinco virar um estúdio de arte (e amor). ❤

E ai, animados? Eu estou pulando de alegria e amando essas novidades todas. E vocês?

O que comprar para o primeiro kit de pintura?

Eu desenvolvi o amor pela pintura a relativamente pouco tempo, não tem nem um ano, e só comecei a tentar realmente aprender, praticar e levar a sério a menos tempo ainda. Resumindo, eu ainda sei muito pouco mesmo e tenho quase nada de material; só que sinceramente acho que por ora é o suficiente para conseguir aprender e com o tempo, e meu desenvolvimento, ir comprando cada vez mais e mais coisas.

Eu to contando isso pra vocês porque eu sei que tem muita gente que tem vontade de aprender a pintar mas não faz a mínima ideia de por onde começar, e muito menos do que comprar para esse começo, então a minha ideia aqui é realmente mostrar pra vocês as coisas básicas para seu primeiro kit de pintura.

Antes de tudo e qualquer coisa, essa é a minha opinião, é como eu preferi montar meu kit me baseando no que já sabia de arte e pintura. Isso não é uma verdade absoluta – até porque elas não existem.

As cores básicas são branco, preto, vermelho, azul, amarelo e verde. A escolha dessas cores é porque dá pra criar diversas outras em cima delas, até hoje já consegui chegar a todas que eu precisei só as usando como base. Se você nunca assistiu Barney e não sabe como fica a mistura de cores, nesse site você pode conferir como vão ficar.

Para os pincéis acho que uns três são o suficiente, um grosso – ou um rolinho -, um médio e um bem fininho para detalhes. Alguns pincéis dão textura ai vai de você se quer incorporar isso na arte.Com o tempo também você vai descobrindo técnicas que dão certo pra você, vai acabar usando coisas como a parte traseira de um lápis pra conseguir fazer bolinha ou uma antena quebrada pra fazer uma linha diferente – qualquer semelhança com a minha realidade é mera coincidência.

Nas tela eu sinceramente acho melhor começar com as pequenas, a auto-cobrança acaba sendo menor e arte é pra sentir e aproveitar e não pra deixar nervoso e irritado porque não saiu como queria. Sem falar que vale pintar em tudo – papelão, madeira e a lista é longa.

Paleta é um negócio que vai fazer teu trabalho diminuir mil por cento então tenha uma. Eu só fui comprar a minha essa semana e antes pra eu misturar as cores ficava pegando coisas aleatórias que nem sempre davam certo e eu acaba gastando tinta à toa.

No mais não tem mais, é só isso. Óbvio que como o tempo você vai comprar cores diferentes pra não precisar misturar sempre, vai querer ter telas grandes e vai desejar um cavalete (sonho de consumo <3), mas por agora é realmente todo o necessário que precisa ter para aprender.

E ai, animados pra montar seu primeiro kit?

Eu preciso falar sobre amor

Antes que comece a ler eu preciso que você ouça essa música e sinta cada batida e realmente ouça cada palavra 🙂

Eu preciso falar sobre inspiração.

Muitas coisas me inspiram, coisas demais que pra que eu consiga listar, mas o que mais me inspira e, de certa forma, está presente em todas essas coisas é o amor.

É ele que me dá forças pra acordar todos os dias às 06h40 da manhã e ir pra faculdade para me preparar pra exercer uma profissão que eu amo. É ele que me faz acordar cedo em dias em que eu não tenho que sair de casa mas eu preciso me dedicar aos meus projetos. É ele que me faz chegar em casa cansada e ainda sim sentar no meu computador e ficar horas e horas nele – e nem sentir o tempo passar. É ele que me faz sentar no chão, na posição mais desconfortável que eu puder, cercada de lápis de cor e tintas e então não sentir o desconforto porque fazer aquilo é a coisa mais confortável do mundo. É ele que me faz ficar com a perna dormente quando meu cachorro tá há horas deitado na minha perna, e o Scooby parece tão confortável. É ele que me faz ficar cheia de cadernos e canetas em cima de mim enquanto tento criar o planejamento de tantos projetos. É ele que faz com que eu me meta todos os dias em um projeto de arte diferente. É ele que me faz ir dedicar na minha religião mesmo após um dia daqueles onde eu só quero me afogar na cama. É ele que me faz ser cercadas de pessoas tão incríveis. É ele que me fez sair de uma depressão. É ele que me acalma em meus ataques de ansiedade. É ele que me faz ter inspiração. É o amor que me faz amar.

Amar a vida, amar as pessoas, amar a natureza, amar a arte, amar o cheirinho de café, amar sentir os pés descalços no chão, amar meditar, amar olhar as estrelas, amar o mar, amar acordar e ver o sol brilhando, amar as sensações, amar as emoções, amar os sentimentos – até mesmo os não tão legais de sentir por que o que seria do bom sem o mal? Amar as cores, amar comer morangos e depois beber chá gelado de limão e sentir ele ficar tão docinho, amar ver desenhos animados e rir como se fosse uma criança, amar conversar sobre aqueles assuntos em que você viaja e transcende, amar a fé, amar tomar chá de hortelã antes de dormir, amar açaí em um dia bem quente, amar escrever como se minha vida dependesse disso – e às vezes desconfio que dependa. Amar a paz, amar a calma, amar as flores, amar ouvir música, amar criar, amar minhas superstições, amar a lua, amar meu livro favorito, amar borboletas.

É o amor que me faz amar e ele me faz amar o amor. O amor me faz amar amar. E eu sinceramente digo que essa é a melhor sensação do mundo e é isso que me inspira de uma forma tão grande que eu não sei explicar, só sentir.

Eu amo o que faço da minha vida e faço o que amo, mesmo que às vezes eu não ame tanto assim, mesmo que às vezes eu só ame porque a vida me forçou a amar, me obrigou a engolir esse amor e eu não tive outra saída. Mas eu amo, porque o contrário disso não adianta nada e só vai me prejudicar, então eu só amo. E eu amo isso.

Pra sonhar: estúdios de arte

Um sonho meu – ao menos um deles – é ser uma artista renomada e reconhecida pelo meu trabalho, e é claro que faz parte dessa minha meta ter um estúdio. A decoração meio bagunçada, as cores que explodem, as artes por todos os lados, … ❤

Eis que a pessoa que vos fala está redecorando o quarto e foi pegar inspiração em alguns estúdio de arte e, minha nossa!, como eu quero aquilo na minha vida. Enquanto meu mini estúdio continua no meu quarto diminuído à uma mesa eu vou babando pelos outros e já pensando em como decorarei quando chegar minha vez. Fazer planos não mata – pelo contrário, faz ter esperança e ajuda a alcançar os objetivos. 😉

O resultado da busca por essa inspiração foi ter achado uma coisa mais linda que a outra e não saber qual é o melhor pra eu tentar copiar. Enquanto continuo tentando me decidir, e derramo uma lágrima a cada foto, confere os melhores links que achei.

Artist and studio

Art Studios

Art worskspace

Pinterest – confesso que pra mim tudo tava bom dai não soube muito filtrar pastas ou pessoas rs

E ai, vocês também sonham com um desses?

Borboleta em aquarela

A poesia está presente em todos os lugares, em todos os momentos, em todas as pessoas, basta ter o olhar certo pra conseguir enxergar. Foi por isso que eu criei o projeto borboleta em aquarela.

Nele eu tenho como objetivo estimular a poesia na vida, na minha e na de quem me acompanhar. Eu farei isso da seguinte forma, todos os dias irei fazer algo artístico/poético e me entregarei completamente naquele momento – e, claro, postarei sobre isso.

Vale ver um filme realmente prestando atenção, vale ouvir uma música sentindo cada batida, vale ler um livro e se envolver na história, vale ficar sentada vendo o mundo passar e perceber cada detalhe daquele mundo. Vale tudo, é só ter o coração aberto e o olhar correto!

O projeto vai rolar no instagram, então me segue lá no @borboletaemaquarela e participa comigo poetisando sua vida ❤