Resenha – Depois de você

Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Como eu era antes de você conta a história do relacionamento entre Will Traynor e Louisa Clark, cujo fim trágico deixou de coração apertado os milhares de fãs da autora JojoMoyes.

Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.

Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

Esse livro foi bem controverso no mundo literário, houve quem amou e quem odiou essa continuação da história da Lou. Eu, particularmente, acho que o primeiro livro terminou de forma trágica, porém, aceitei que era o fim, mas mesmo assim gostei quando fiquei sabendo que teria continuação, achava justo a Lou conhecer outra pessoa e superar o Will, talvez por isso me decepcionei um pouco com o desenrolar da história.

A protagonista passa por momentos difíceis quando encontra essa pessoa do passado de Will e acho que isso vai a afastando cada vez mais de uma superação que já estava bem complicada. Por mais que ela frequente a terapia e tenha pessoas ao seu lado que tentam ajudá-la, de alguma forma ela acaba se perdendo cada vez mais. São decisões difíceis que ela tem que tomar e o medo de escolher errado está presente em todo momento.

Quando descobri que terá um terceiro livro, fiquei feliz e aliviada, porque definitivamente não gostei de como terminou sua história.Espero que a autora ajude Louise a se encontrar de alguma forma, tanto em sua vida profissional quanto pessoal. Aguardo ansiosa pelo lançamento.

Depois de você

Autora:  JojoMoyes

Editora  Intríseca

Resenha – Cem Anos de Solidão, livro de Gabriel García Márquez

Lembro-me até hoje do dia em que meu professor de filosofia pediu para que a classe fizesse um ensaio sobre o livro “Cem Anos de Solidão”, do escritor colombiano Gabriel García Márquez. Eu fiquei encantada já que finalmente um professor passou um livro que não era fininho para que todos lessem, visto que em literatura todos tinham no máximo 150 páginas.


“Cem Anos de Solidão” é uma obra literária do gênero Romance, lançada em 1967. Conta a história dos Buendía, que viviam na vila fictícia de Macondo. O tempo acompanha todas as gerações que viram uma das personagens – Úrsula – ainda viva (e ela viveu entre 115 e 122 anos).

A verdade é que muitas vezes eu confundia algumas personagens por causa dos nomes parecidos, mas a minha edição tinha uma árvore genealógica (não sei se todas têm).

Os personagens que mais me chamaram a atenção foram Rebeca e Pietro Crespi, e meu ensaio foi justamente sobre os dois, em especial sobre os possíveis problemas psicológicos de Rebeca.

Uma curiosidade bacana é que a música “Banana Co” do Radiohead é inspirada na obra e, se você precisa de um bom motivo pra lê-la, basta que eu lhe diga que esta foi considerada a segunda obra de maior importância de toda a literatura hispânica, perdendo apenas para “Dom Quixote”, segundo o Congresso Internacional da Língua Espanhola


Ebook: Sorrisos Quebrados

Aproveitando o crescente mercado de livros digitais, eu venho hoje falar de um livro de uma autora portuguesa, chamada Sofia Silva, que foi lançado de forma independente no site da Amazon.

O livro se chama Sorrisos Quebrados, é um Romance/Drama, que conta a história de Paola e André e como ambos superaram seus medos e traumas do passado.

Paola é uma mulher apaixonada por artes, simpática e de sorriso fácil, casada com Roberto, que à primeira vista era um homem perfeito para qualquer mulher, desejado por muitas, mas que só tinha olhos para uma. Porém, após um tempo de casados se mostrou cruel e abusivo de várias formas, chegando ao ponto de cometer uma atrocidade com sua esposa.

Paola se tornou uma mulher quebrada. Se mudou para uma clínica, onde recebeu todo apoio e foi acolhida com grande carinho, além do tratamento para superar tudo o que passou, Paola também se dedicou às tintas e aos pincéis e cada dia coloria sua vida com sua arte. Nessa clínica ela conheceu André, pai de uma encantadora criança chamada Sol, ele vivia em um mundo cinza e sombrio, devido aos problemas que passou ao lado de Sol e por ter abandonado sonhos que agora pareciam tão distantes.

Paola e André, ao longo do livro, passam por momentos tensos, sensuais, emocionantes e vale muito a pena mergulhar nessa leitura poética , que trata de assuntos tão próximos da realidade e tocam fundo na nossa alma.

Link do livro: https://www.amazon.com.br/Sorrisos-Quebrados-Sofia-Silva-ebook/dp/B01MRU57I2/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1488665341&sr=8-1&keywords=sorrisos+quebrados

Roube como um artista – 10 dicas sobre criatividade

Hoje eu vou falar um pouco o meu livro favorito e o fato de eu gostar tanto dele simplesmente porque mudou a minha vida e maneira como eu vejo as coisas.

O livro Roube como um artista  – 10 dicas sobre criatividade (Austin Kleon) me ensinou a ser uma pessoa verdadeiramente criativa. Antes dele eu enxergava a criatividade como inspiração, quando tava inspirada conseguia trabalhar/fazer arte/escrever, quando não tava entrava em inércia; eu não conseguia enxergar que criatividade é um trabalho duro e diário e que estar inspirada é apenas uma pequeniníssima porcentagem desse todo.

Confesso que demorei a aceitar essa realidade, sempre gostei de me sentir uma pessoa criativa justamente por achar que eu era alguém muito inspirada, mas quando compreendi verdadeiramente o que aquele livro queria dizer com tudo aquilo eu simplesmente me apaixonei por essa teoria. Em poucas palavras ele diz que qualquer pessoa pode ser criativa, é só querer. Preciso dizer que foi esse livro que me inspirou a começar o Projeto Criativando?

Uma outra parte que devo admitir que fiquei com um pé na frente e o resto do corpo atrás foi que ele diz que devemos ser organizados para sermos esse poço cheio de idéias. Hoje em dia eu tenho um tipo de amor estranho por organização mas na época eu saia correndo só de ouvir a palavra organizar então isso me fez ficar meio méh na época, mas hoje vejo o quanto é real.

Não vou mentir, o processo todo pra eu seguir o que ele ensina foi bem difícil e demorei cerca de três anos – intercalando entre períodos que tentava muito e outros que não me importava nada – pra conseguir mas o resultado tem sido maravilhoso. Eu consegui fazer e ainda faço tudo que ele aconselha, graças à essas coisas acabei aprendendo outras que também me ajudam de forma gigantesca e isso tudo me ajudou a hoje estar afogada no mundo artístico e ter tantas projetos e trabalhos que envolvam minha criatividade e minha arte – e até minha inspiração.

Essa literatura maravilhosa tem várias ilustrações feitas à mão e algumas até com o uso de um jornal, na última página dele tem um espaço de rabiscos para que possa ir anotando e desenhando na medida em que sua vontade de criar crescer ao lê-lo, é todo em preto e branco com apenas pouquíssimos detalhes em vermelho e a fonte é bem tranquila – essas coisas ajudam muito a leitura ficar ainda mais leve e gostosa. Ele é divido por capítulos (como a maioria dos livros né) e dentro deles há sub-capítulos com os temas relacionados.

Ah, uma coisa que esqueci de falar, como o próprio nome já diz ele também ensina a roubar como um artista, basicamente ele ensina como você pode copiar/se inspirar em tudo, não criar nada original e ainda sim criar algo totalmente original. Faz sentido?

Mas me contem, vocês já leram esse livro? Gostaram? Teve algum efeito na vida de vocês?

O cortador de pedras

O cortador de pedras, de Camila Läckberg é provavelmente uma das histórias mais confusas que já li, e uma das minhas preferidas também.

Tudo acontece em Fjallbacka, lá na Suécia e a história começa quando uma garotinha, a pequena Sara é encontrada morta, afogada no mar. O que parecia apenas um acidente infeliz porém comum muda de ares quando é descoberto que o afogamento se deu por água doce que continha sabão. Se tornando necessário então uma investigação quem assume esse caso é o policial Patrick Hedstrom, que se encontra em um momento vulnerável de sua vida, acabou de ter uma filha com sua namorada, que por acaso era amiga próxima da mãe de Sara.

A cidade, cena da história, é pequena e uma daquelas onde todos se conhecem mas para resolver esse caso e encontrar o culpado pela morte de uma menina inocente Patrick tem que descobrir o que levaria alguém a cometer tal crime, sendo assim começa a investigar a vida e o passado de todos na cidade.

O livro, que se cerca desse mistério do assassinato, acaba trazendo outras descobertas e dúvidas e a cada página você se surpreende mais. É o tipo de história que você jura que sabe qual vai ser o final mas muda de opinião a cada página.

Todas as pessoas que eu já o indiquei e leram também falaram que é um dos melhores do mundo. Eu não sei nem explicar o quão é incrível o mistério e o final dessa história. É um daqueles livros que você lê e tem certeza que daria o melhor filme do universo, pelo menos na minha cabeça esse longa-metragem ficou muito incrível.

Uma dica: se você for ler esse livro, o que definitivamente você deveria, se certifique que tem algum tempo porque não vai conseguir mais comer, dormir, respirar, viver enquanto não chegar até o último ponto.