Antes que comece a ler eu preciso que você ouça essa música e sinta cada batida e realmente ouça cada palavra 🙂

Eu preciso falar sobre inspiração.

Muitas coisas me inspiram, coisas demais que pra que eu consiga listar, mas o que mais me inspira e, de certa forma, está presente em todas essas coisas é o amor.

É ele que me dá forças pra acordar todos os dias às 06h40 da manhã e ir pra faculdade para me preparar pra exercer uma profissão que eu amo. É ele que me faz acordar cedo em dias em que eu não tenho que sair de casa mas eu preciso me dedicar aos meus projetos. É ele que me faz chegar em casa cansada e ainda sim sentar no meu computador e ficar horas e horas nele – e nem sentir o tempo passar. É ele que me faz sentar no chão, na posição mais desconfortável que eu puder, cercada de lápis de cor e tintas e então não sentir o desconforto porque fazer aquilo é a coisa mais confortável do mundo. É ele que me faz ficar com a perna dormente quando meu cachorro tá há horas deitado na minha perna, e o Scooby parece tão confortável. É ele que me faz ficar cheia de cadernos e canetas em cima de mim enquanto tento criar o planejamento de tantos projetos. É ele que faz com que eu me meta todos os dias em um projeto de arte diferente. É ele que me faz ir dedicar na minha religião mesmo após um dia daqueles onde eu só quero me afogar na cama. É ele que me faz ser cercadas de pessoas tão incríveis. É ele que me fez sair de uma depressão. É ele que me acalma em meus ataques de ansiedade. É ele que me faz ter inspiração. É o amor que me faz amar.

Amar a vida, amar as pessoas, amar a natureza, amar a arte, amar o cheirinho de café, amar sentir os pés descalços no chão, amar meditar, amar olhar as estrelas, amar o mar, amar acordar e ver o sol brilhando, amar as sensações, amar as emoções, amar os sentimentos – até mesmo os não tão legais de sentir por que o que seria do bom sem o mal? Amar as cores, amar comer morangos e depois beber chá gelado de limão e sentir ele ficar tão docinho, amar ver desenhos animados e rir como se fosse uma criança, amar conversar sobre aqueles assuntos em que você viaja e transcende, amar a fé, amar tomar chá de hortelã antes de dormir, amar açaí em um dia bem quente, amar escrever como se minha vida dependesse disso – e às vezes desconfio que dependa. Amar a paz, amar a calma, amar as flores, amar ouvir música, amar criar, amar minhas superstições, amar a lua, amar meu livro favorito, amar borboletas.

É o amor que me faz amar e ele me faz amar o amor. O amor me faz amar amar. E eu sinceramente digo que essa é a melhor sensação do mundo e é isso que me inspira de uma forma tão grande que eu não sei explicar, só sentir.

Eu amo o que faço da minha vida e faço o que amo, mesmo que às vezes eu não ame tanto assim, mesmo que às vezes eu só ame porque a vida me forçou a amar, me obrigou a engolir esse amor e eu não tive outra saída. Mas eu amo, porque o contrário disso não adianta nada e só vai me prejudicar, então eu só amo. E eu amo isso.

Anúncios

Vai, fala!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s